Tarot e as Diferentes Tradições Espirituais

Pesquisar

Tags:

Tempo de leitura: 2 minutos

O Tarot e o Misticismo Judaico

O tarot tem raízes profundas no misticismo judaico, especificamente na Cabala. A Cabala é uma tradição esotérica que busca desvendar os mistérios divinos e a natureza do universo. O tarot, com seus 22 Arcanos Maiores, é frequentemente associado à Árvore da Vida da Cabala, que é composta por 22 caminhos. Cada caminho é associado a uma letra do alfabeto hebraico e a um Arcano Maior do tarot. Assim, o tarot é visto como uma ferramenta para explorar e entender esses mistérios divinos.

Além disso, a numerologia é um aspecto importante tanto da Cabala quanto do tarot. Cada carta do tarot tem um número associado a ela, e esses números têm significados simbólicos dentro da Cabala. Por exemplo, o número 10 é associado à realização e à plenitude na Cabala, e a décima carta dos Arcanos Maiores do tarot é A Roda da Fortuna, que representa ciclos de mudança e a natureza cíclica da vida.

O Tarot e o Paganismo Moderno

No paganismo moderno, o tarot é frequentemente usado como uma ferramenta de divinação e autoconhecimento. Muitos pagãos veem o tarot como uma maneira de se conectar com o divino e de obter orientação espiritual. Além disso, o tarot é frequentemente incorporado a rituais e feitiços pagãos, sendo usado para focar a intenção e direcionar a energia.

O tarot também é visto como uma maneira de se conectar com a natureza e os elementos. Por exemplo, as quatro suítes dos Arcanos Menores do tarot são frequentemente associadas aos quatro elementos: Copas com água, Espadas com ar, Paus com fogo e Pentáculos com terra. Essas associações são usadas para entender as mensagens das cartas e para se conectar com as energias desses elementos.

O Tarot e o Hinduísmo

Embora o tarot não seja tradicionalmente parte do hinduísmo, existem algumas conexões interessantes entre os dois. Por exemplo, os 22 Arcanos Maiores do tarot podem ser associados aos 22 caminhos da Árvore da Vida da Cabala, que por sua vez podem ser associados aos 22 chakras descritos em algumas tradições hindus.

Além disso, algumas cartas do tarot têm paralelos com deidades e conceitos hindus. Por exemplo, A Imperatriz pode ser associada a Lakshmi, a deusa da riqueza e da prosperidade, enquanto A Torre tem semelhanças com a história de Shiva, o destruidor, que é frequentemente retratado dançando na destruição do universo para preparar o caminho para a nova criação.

O Tarot e o Budismo

No budismo, o conceito de impermanência é fundamental, e isso é refletido no tarot. As cartas do tarot representam diferentes estados ou experiências que são inerentemente transitórios. Por exemplo, A Roda da Fortuna representa a natureza cíclica e sempre mudante da vida, enquanto A Morte simboliza o fim de um ciclo e o início de outro.

Além disso, o tarot pode ser usado como uma ferramenta de meditação no budismo. Meditar sobre as imagens e os significados das cartas pode ajudar a promover a introspecção e a compreensão de si mesmo e do universo. Por exemplo, meditar sobre A Estrela, que representa a esperança e a inspiração, pode ajudar a cultivar essas qualidades em si mesmo.

Comments are closed